19 de jun de 2012

19/06/12 ♥

Bom hoje é uma data muito especial pra mim e decidi que devia compartilhar com vocês...
Nem que fosse alguma parcela dele, e pra 'comemorar' com vocês fiz alguns versos HA ! *-*

Passado & Futuro

Minha cabeça dói, me sinto muito mal
Como se o mundo estivesse desabando sobre mim
Minhas mãos não param de tremer, não estou normal
Como se eu estivesse pressentindo alguma coisa ruim
Ouço uma música na rádio, mas ela não me acalma
Sinto que meu corpo e minha alma não estão em sintonia
A palidez e a tristeza estão explicitas em meu rosto
Sinto uma dor forte no peito em grande desgosto
Uma falta de vontade, uma fraqueza, uma apatia
Um sofrimento que vai me consumindo
Não queria ter levantado preferia estar dormindo
Sinto a falta de um amor em minha vida
Sinto a falta do colo de uma mulher

Não Hoje, Não Mais, Hoje eu tenho Você !

K.R.A         22:14     19/06/12

18 de jun de 2012

Em outros tempos

Hoje, olhei pela janela da cozinha e avistei uma linha de pipa enroscada na mexeriqueira, cruzando o quintal acima da minha cabeça. O pensamento me ocorreu tão natural quanto o ato de respirar: em outros tempo eu correria para o quintal, pegaria um bambu, puxaria deixando-a espalhada por todo o quintal e minha velha lata de linha ganharia mais alguns nós e mais alguns metros. No dia seguinte, iria para a rua aproveitar as férias e empinar pipa em meio a todos os garotos da rua, pois eu nunca fui muito normal, e brincar de boneca nunca foi minha primeira opção. Um simples pedaço de linha me fez pensar em tantas outras coisas... Pensar que em outros tempos, férias significavam ficar na rua até mais tarde pulando corda, jogando queimada, brincando de esconde-esconde, sendo criança. Aah, que saudade de apenas ser criança. Em outros tempos eu pensaria menos no futuro, não me preocuparia tanto com o impacto das minhas atitudes na vida das outras pessoas, seria menos desconfiada, acreditaria mais na humanidade, nas pessoas, nos sentimentos. Certamente passaria menos tempo triste. Em outros tempos eu seria mais livre, todavia, seria menos eu. Mas hoje, os "meus outros tempos" passaram, e quem está no quintal espalhando toda aquela linha é meu primo. Hoje ele faz treze anos. É uma linda idade. Talvez daqui há cinco ou seis anos ele olhe pela janela da cozinha, veja uma linha cruzando o quintal, dê as costas e comece a pensar: Em outros tempos eu correria para o quintal... Mas então, ele saberá, assim como eu, que chegou a vez de outros (provavelmente suas irmãs) viverem esses bons tempos.

17 de jun de 2012

Domingo

É realmente triste um 'dominFU' não ? você ai sem fazer nada mas não porque você não quer é porque simplesmente não consegue mesmo... Já parou pra pensar nisso ? como somos tão inutéis nesse dia tão tedioso ?
Mas contradições a parte, hoje estréio literalmente aqui, eu mesmo publicando alguma coisa (me senti quase um adulto) desculpe não pude evitar tal trocadilho...
E apesar d'eu ter falado tão mal dos 'dominFUS' o meu foi bastante bacana, sim morram de inveja !
E enrolei vocês nesses parágrafos acima só pra dizer que vim postar um poema pra vocês lerem :)

Boa Leitura


COMO UMA FLOR

Como uma flor que nasce e vai desabrochando
Meu amor por você se desenvolveu
Como uma febre meu calor foi aumentando
E meu corpo com o seu se envolveu

Por mais que eu tentasse resistir
Meus olhos pelo salão estavam a te seguir
Eu já não tinha mais como fugir
O brilho do seu corpo acabara de me iludir

Seu sorriso me hipnotizava
Paixão do meu peito jorrava, como em um chafariz
E enquanto você dançava
Meu coração batia feliz

Seu vestido brilhante como as estrelas do céu
Suas curvas perfeitas como as de um violão
Me deixavam sem pensamentos certos
Amor a mil graus como a lava de um vulcão

Como não te olhar
Se o que eu queria era te abraçar
Como não te olhar
Se o que eu queria era te amar

Quando você me olhou sem pensar
Que eu pudesse estar te olhando
Meu coração disparou
Eu sabia que estava de amando

Como não te olhar
Se o que eu queria era beijar você
Como não te olhar
Se o que eu queria era ter você

K.R.A    18:47   17/06/2012

Mais um colaborador

Quando você recebe o e-mail no qual o assunto está da seguinte maneira: "Seu texto, quer dizer meu texto, que é seu, mas também é meu, e seu, ou do blog." já sabe que a coisa tem grandes chances de não dar certo. Mas enfim, vamos testar. Quando eu achar que os textos dele ficaram "sujos" demais, faço com que ele mude de assunto.
No mesmo dia em que eu descobri sobre a existência do blog da senhorita Bruna, sem a menor cerimonia já me envolvi pra escrever alguma coisa já que estava todo mundo falando que ia escrever. O maior problema era sobre o que. Desculpem o abuso, mas a primeira coisa que me veio a cabeça foi sexo, já que a parte de amor já foi ocupada.
Como é o primeiro texto, e como a “que manda no negocio” disse que tinha algumas leitoras mais jovens, eu juro que vou pegar leve, até vocês se acostumarem. ;D
Em muitas rodas de amigos, sejam eles chicos ou chicas, ou até mesmo uma mistura dos dois, SEXO é sempre um dos principais assuntos, consciente ou não, falando do que fez ontem, ou da música nova do Catra que ouviu - que, venhamos e convenhamos, é quase a mesma coisa que praticar o ato -, ainda mais quando ele se junto com a Valeska, mas esse não é o assunto.
No caso dos meninos, em grande parte das conversas sobre o assunto, é sobre o que faria se estivesse com aquela mulher. Na grande maioria das vezes um sonho impossível, BUT, sonhar é um direito de todos e não gera custos,  e é sempre bom, por experiência própria, eu posso afirmar.
Mas tendo como parâmetro algumas de minha amigas, esse negocio de imaginação fértil não é algo que apenas os ninõ, - perdão pelo excesso de espanhol, mas rola todo um prazer nessa coisa latina -, mas a meninas também possuem. Quantas delas não tiveram qualquer tipo de fantasia com um Jhonny Depp ou Adam Levine da vida?! Normal, fiquem calmas não é por causa disso que vocês não vão pro céu, é por outros motivos, claro. Mas para terminar o primeiro texto sem usar as palavras, POSIÇÃO, MÉNAGE ou GRUPO, com muito esforço claro, coloquem na cabeça, é tudo normal, e quase tudo permitido, esse quase fica pra os próximos textos. Vulgo: O Menino da Gravata Preta