25 de abr de 2012

Um pouco sobre pensamentos

Eu queria que, apenas por um dia, houvesse alguma forma de registrar os meus pensamentos. Todos eles, sem qualquer exceção. Quando pudesse constatar tudo eu certamente me assustaria. Eu queria também ter o pensamento livre por alguns instantes, estando acordada, claro. Ouvi dizer que é o que acontece enquanto você medita. Sua mente fica vazia e só o que te importa é o silêncio, tanto externo quanto interno. Aaah, como deve ser bom ter momentos de silêncio interno. Eu simplesmente não consigo!!! Sozinha no ônibus, durante o banho, as refeições, antes de dormir. O tempo todo um turbilhão de coisas sem muito sentido ou importância. Eu penso em como as coisas poderiam ter sido, em coisas que ainda pode ser, imagino coisas que seriam lindas se acontecessem, mesmo sabendo que não acontecerão, só pelo simples prazer de pensar em bonitezas. Eu penso em finais para livros, em frases feitas que deveria usado em meio a alguma discussão, em como responder a determinadas frases. Eu simplesmente penso. E penso também em coisas para escrever aqui, surge ao menos uma dezena de ideias, mas eu não consigo me decidir por nenhuma delas. E é sempre neste momento que começo a pensar em escrever sobre não conseguir escrever, eu sei, é confuso pra mim também. Mas no final das contas, percebo que penso em coisas demais para simplesmente dizer "Não consigo escrever". Seria insano...

23 de abr de 2012

Um pedido de desculpas

As pessoas vivem te dizendo que você não pode desistir antes de tentar, mas elas nunca dizem o que fazer se você tentar e der errado. Pois eu cheguei a uma conclusão: Não desista antes de tentar. E se não der certo, ainda assim não desista, mude de caminho, mas continue andando. É, eu sei que abandonei meu cantinho e, consequentemente minhas amigas que passavam por aqui para saber como andavam as coisas. Por isso peço desculpas e vou explicar - o melhor que puder - meus motivos. Como vocês já sabem, quando criei o Quase Adulta minha intenção era falar sobre minha nova fase, sobre as coisas diferentes, as surpresas, as dificuldades e tudo o mais que pudesse preparar minhas leitoras/amigas para quando sua vez chegasse. Pois bem, no começo foi tudo maravilhoso, eu tinha coisas para contar todos os dias (às vezes até mais de uma coisa por dia, o que acabava rendendo posts seguidos) e eu estava animada com esse tal mundo novo. Um mês de faculdade foi o suficiente para as outrora novidades transformarem-se em nada mais do que a minha rotina, e não havia - ao menos não que eu pudesse perceber - mais o que falar. Resultado: decidi fechar para balanço. Passei a esperar por coisas novas, buscar novas pautas, saber o que poderia ajudar minhas leitoras/amigas, mas nada veio. Ao invés de novidades, o que ressurgiram na superfície de meus pensamentos foram os antigos conflitos. Pensei "Agora não há mais o que fazer, eu tento escrever e só me vem a inquietação...", estava pensando seriamente em desativar o Quase Adulta quando conversei com duas amigas e elas me pediram que eu não o fizesse. Uma delas - eu te amo ainda mais por isso Cutrinha - me enviou o link de um blog incrível e eu pensei "Desativar um blog é quase um crime". Então, não vou desativá-lo,mas vão haver mudanças. Não posso escrever sobre algo que não sinto e não vivo - ou simplesmente passou a representar menos -, logo, me resta escrever sobre o que me aflige, pois, neste momento, tudo o que preciso é de um cantinho para desabafar. Peço desculpas se decepcionei alguém, e afirmo que estou a disposição para continuar ajudando minha lindezas e falando sobre temas que vocês sugerirem - é só falar, sério - espero que continuem por aqui, o que eu preciso agora é de pessoas que se importam...